3.17.2009

é por estas e outras que simpatizo com este homem

No rescaldo da sua participação no programa Sociedade Civil de hoje (para ver em diferido aqui), sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, Miguel Vale de Almeida escreve o seguinte:

"No debate sobre a igualdade no acesso ao casamento civil surgiu um tipo especificamente local: o do desconservador. É o conservador que desconversa. Não usa os argumento da Igreja Católica nem os dos que são favoráveis a uma união registada em vez do casamento. Não quer ficar conotado como reaccionário, muito menos como homofóbico. Mas não quer, de modo algum, aceitar a alteração. Na ausência de argumentos que não sejam baseados em formalismos jurídicos ou em definições de conceitos estabelecidos, desconversa. Não defende convictamente uma visão do mundo, uma ideologia. Não ataca convictamente outras. Desconversa. A discussão é um jogo de salão em que o que conta é quem tem a última palavra num jogo. É a transposição para a esfera pública do simples gozo da discussão pela discussão entre amigos. Falha nisto uma coisa, aliás gravíssima: o reconhecimento de que o que diz afecta as vidas dos outros. E só dos outros."

Eu que adoro inventar palavras, como gaysamento e lesbitrimónio, esta do desconservador está tão, mas tão bem vista...

9 comentários:

mancha negra disse...

E de volta ao mesmo disco, incansável e oportuno tema. O bom do mundo, o situacionismo da pátria.

HOMOSSEXUALIDADE.

Mas, no meio da salganhada, a ideia de que a opinião contrária é REACCIONÁRIA E HOMÓFOBA, não pode deixar de ser vista com maus olhos.
Isto porque, a "novilíngua" da liberdade e igualdade está aí.

Um empecilho jurídico e uma discussão de direitos num quadro legal, assumem a forma de "discriminação", liberdade, atentato aos direitos humanos e liberdades da humanidade e raça e humana e ainda, à religião e etc etc etc. Como se, defendessem os contra defendessem os autos de fé ou as purgas aos homossexuais.

Enfim. Repito. Os homossexuais não devem de ter mais ou menos atenção que eu no quadro das uniões de facto. Actualmente têm os mesmos direitos que os casais hetero, no caso da união de facto. Os bens de sucessão, nomeadamente ficam para a prima. Nos heteressexuais também. Portanto, porquê o alarido?

Se, a discussão é o casamento civil, e se no campo do simbólico se trata, aquiesço que ambos os casais devem e podem partilhar emoções, desejos, sexualidade e sentido de comunhão. Até aí, tudo bem. Mas, na constituição de família, a criança está primeiro. INDEPENDENTEMENTE DE HAVER MUITOS CASAIS QUE PROPORCIONARIAM UMA FELIZ FAMÍLIA, porque o que está em jogo é a criação de personalidade da criança, o interesse supremo da mesma. E, sem uma figura com dois pesos...... sabe a resposta.

Su disse...

Sugiro-lhe o visionamento do referido programa.
Não se pedem "atenções especiais" para os homossexuais. Os casais hetero escolhem se desejam casar-se ou unir-se de facto. Os casais homossexuais NÃO PODEM ESCOLHER. Simple as that.

Su disse...

ó mancha, para a gente se repetir pouco, deixo-lhe aqui uma lista de temas aos quais sou favorável e que, seguramente, nos proporcionarão férteis discussões:
- IVG
- políticas liberais de esquerda
- eutanásia
- liberalização de drogas leves
- serviço cívico obrigatório em caso de subsídio de desemprego ou rendimento mínimo
- uso prolongado a custo zero dos fogos desabitados no centro de pdl por jovens (ficando estes a pagar o custo das obras nos imóveis)
- mobilidade em PDL
- formas de ultrapassar a CRISE (last but not the least)

mancha negra disse...

IVG - Eu não escolho ficar doente, e pago taxas moderadoras. Eu escolho fazer um aborto (ainda me dão a escolher, se por medicamento ou cirurgia) e não pago nada.
Ainda dentro da IVG. Sou a favor da penalização, excepto em casos de violação, má formação do feto, ou risco de vida para a Mãe. Isto, porque sou coerente no que articulo, e não gosto de niilismos.

Políticas Liberais de esquerda - ???? Não percebi.

Eutanásia - Sou favorável ao testamento vital, mas discutido. Sou favorável à eutanásia em casos de excepção, de forma activa.

liberalização de drogas leves - Assumo a liberalização total das drogas. Duras, leves etc.


formas de ultrapassar a CRISE - ????? AHAHAHAHAAHHAA. Quanto às outras, ainda de importância significativa, ficarão para uma discussão mais alargada, com o tempo e assim que poste a sério com regularidade.

Raquel Roque disse...

Gostei do texo do Miguel Almeida, muito bem visto sim senhor!

Basilisco Enfatizado disse...

Este Mancha Negra às vezes surpreende. Ainda bem .

passi disse...

o miguel é um paneleiro muito inteligente.

inteligentíssimo.

Anónimo disse...

e o mancha também

Anónimo disse...

Por onde anda a Daniela?? eu preciso de falar com ela.